Bem-vindo(a) à Linha Diabetes. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Diabetes.

Envie a sua questão
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: linhadiabetes@sapo.pt
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

FUNGOS

INSULINA em COMPRIMIDOS

Momento de lazer: A respo...

Momento de Lazer: Adivinh...

Novos Medicamentos

A HORA DAS REFEIÇÕES

O que é mais importante ?...

PREECLAMPSIA: notas a ret...

Grávidas Diabéticas: COMP...

Ainda está nas "Festas" ?

Temas

alimentação

alimentacao

avc

brasil

calorias

cancro

colesterol

complicaçoes

complicações

coração

crianças

criancas

dia mundial da diabetes

diabetes

diabetes gestacional

diagnóstico

dieta

eclampsia

exercicio

exercício

glicemia

gravidez

gripe a

hipertensão arterial

hipoglicemias

idosos

insulina

laser

medicamentos

mr b

obesidade

osteoporose

perder peso

prediabetes

preeclampsia

prevenção

risco

risco cardiovascular

terapeutica

tratamento

todas as tags

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2008
TENHO DIABETES: O QUE POSSO COMER.

O corpo humano adquire energia para funcionar através do consumo de alimentos. Os alimentos têm vários componentes energéticos (açúcares ou hidratos de carbono, gorduras ou lípidos, proteínas) em diferentes quantidades. Esses componentes dão energia (calorias) permitindo o organismo funcionar. Se consumirmos mais do que gastarmos, engordamos. Se gastarmos mais do que consumimos, emagrecemos. O DIABETICO DEVE COMER DE TUDO. TODOS OS ALIMENTOS SÃO PERMITIDOS.  Mas deve ter a noção que de acordo com os componentes energéticos de cada alimento, há os que lhe aumentam mais a glicemia do que outros. Estamos a falar da qualidade dos alimentos; as embalagens dos alimentos geralmente informam, por cada 100 mg, a quantidade existente de hidratos de carbono, de açúcares livres, de gordura, de proteínas, de calorias.  Já experimentou passear pelo hipermercado "estudar" a diferença destes componentes em alimentos semelhantes? Além da qualidade, há que atender à quantidade dos alimentos ingerida em cada refeição. É que os alimentos que consumimos são transformados em glicose, a fonte energética mais simples que o organismo utiliza para ver, para sentir, para pensar...enfim para desempenhar todas as funções para que está habilitado. A demora em utilizar essa energia contida na glicose caracteriza a "anomalia" existente na diabetes (tipo 2). Assim, quanto menor fôr a quantidade de alimentos ingeridos de cada vez, mais fácil se torna para o organismo assimilar e aproveitar a glicose contida nos alimentos ingeridos. Torna-se preferível comer mais vezes (comer uma fruta, um iogurte um pouco de pão a meio da manhã e da tarde) mas menos quantidade de cada vez.  Refeições mais pesadas mas menos frequentes (por exemplo, apenas pequeno almoço, almoço e jantar) dão uma sobrecarga momentânea de alimento que o organismo tem grande dificuldade em conseguir assimilar; assim, a glicose fica a "boiar" no sangue, criando uma sobrecarga para os vasos sanguíneos que a transportam, condicionando o seu desgaste prematuro SILENCIOSO, responsável das complicações crónicas (enfartes, tromboses, insuficiência renal, cegueira, amputações). O DIABÉTICO pode comer de tudo mas DEVE ESTAR MUITO MAIS ATENTO À COMPOSIÇAO DOS ALIMENTOS QUE INGERE. O diabético também tem direito a ter dias de festa mas DEVE SABER COMO SE PROTEGER  de uma carga de glicose suplementar. O diabético TEM DIREITO A SER FELIZ. O diabético TEM O DEVER DE PROTEGER A SUA SAÚDE. PEQUENAS ATITUDES PARA EVITAR GRANDES MALES.



publicado por João Vilela Gonçalves às 10:02
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

João Vilela Gonçalves
Consultor de Medicina Interna, pós-graduado em Diabetologia, tem a competência de Gestão de Unidades de Saúde. Trabalhou em serviços de Cardiologia, Nefrologia e Clínica de Hemodiálise, Consulta especializada do Pé diabético e em Unidades de Cuidados Intensivos. Desempenhou funções de Chefe de Equipa de Medicina do Serviço de Urgência do Hospital de Santa Maria. Foi Assistente Convidado da Cadeira de Patologia Clínica da Faculdade de Ciências Médicas.

Responsável pelas Consultas do Hospital de Pulido Valente (Diabetes, 1994-2004), da PT-Associação de Cuidados de Saúde (Diabetes, desde 1997; Hipertensão Arterial, desde 2006), da Corclínica (Diabetes, desde 1999) e do Instituto Cardiovascular de Lisboa (Diabetes, desde 2004).

Tem o seu trabalho acreditado, do ponto de vista científico, através das inúmeras apresentações em Congressos nacionais e internacionais.
Arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Links
blogs SAPO
Subscrever feeds