Bem-vindo(a) à Linha Diabetes. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Diabetes.

Envie a sua questão
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: linhadiabetes@sapo.pt
Pesquisar neste blog
 
Posts recentes

FUNGOS

INSULINA em COMPRIMIDOS

Momento de lazer: A respo...

Momento de Lazer: Adivinh...

Novos Medicamentos

A HORA DAS REFEIÇÕES

O que é mais importante ?...

PREECLAMPSIA: notas a ret...

Grávidas Diabéticas: COMP...

Ainda está nas "Festas" ?

Temas

alimentação

alimentacao

avc

brasil

calorias

cancro

colesterol

complicaçoes

complicações

coração

crianças

criancas

dia mundial da diabetes

diabetes

diabetes gestacional

diagnóstico

dieta

eclampsia

exercicio

exercício

glicemia

gravidez

gripe a

hipertensão arterial

hipoglicemias

idosos

insulina

laser

medicamentos

mr b

obesidade

osteoporose

perder peso

prediabetes

preeclampsia

prevenção

risco

risco cardiovascular

terapeutica

tratamento

todas as tags

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008
MEDIR A TENSÃO ARTERIAL: porquê?

A tensão ou pressão arterial é, como o nome indica, a pressão existente no interior das artérias. As artérias são os vasos que transportam o sangue do coração para a periferia (para todas as partes do corpo) depois de ter passado pelos pulmões e ter ficado rico em oxigénio.

 

Quando apertamos a ponta de uma mangueira, a água deixa de jorrar e passa a esguichar; as consequências são evidentes: a terra afectada pelo esguicho, afectada por aquela pressão, salta por todo o lado e forma-se  um buraco. É exactamente isto que se passa no nosso organismo quando a pressão nos vasos aumenta: a maior velocidade com que o sangue circula desgasta a parede do vaso, danificando-o. Essa lesão provoca, no mínimo, aterosclerose, que por sua vez reduz o calibre do vaso aumentando-lhe a pressão, e no máximo o seu rompimento. A hipertensão arterial é a principal causa de AVC (acidente vascular cerebral, vulgo "trombose").

 

O aumento da pressão arterial é indolor. Por isso, só medindo-a sabemos se se encontra controlada ou não.

 

A pressão arterial varia, de forma normal, durante o dia. Habitualmente, durante o sono há uma diminuição de cerca de 10% e, nas primeiras horas da manhã, um "pico" hipertensivo. Esse "pico" é tão mais notório quanto mais descontrolada estiver a tensão. Esta é a causa de os AVC`s e os enfartes do miocárdio ocorrerem mais frequentemente nas primeiras horas da manhã.

 

Também de uma forma normal, a pressão arterial varia de acordo com factores externos ao nosso organismo; isto é, as nossas emoções, de acordo com as nossas actividades do dia-a-dia e de acordo com a maneira como reagimos aos acontecimentos que vamos vivenciando diáriamente (aborrecimentos, alegrias, irritações, tranquilidades).

 

Cada medição retrata apenas a tensão arterial naquele momento exacto. Como há sempre alguma emoção pelo facto de irmos medir a tensão, devemos descansar e relaxar um pouco nos 5 minutos que precedem a medição e, caso o façamos em casa, devemos desprezar a primeira (e até a segunda) medição. A diferença destas para o valor medido na terceira medição é francamente significativo (às vezes inferior a 10%). Por outro lado, não devemos medir a tensão sempre à mesma hora, possibilitando assim verificar como a tensão se comporta ao longo do dia.

 

Medir a tensão todas as semanas permite fazer uma boa média. Registe a hora da medição e os valores encontrados. Leve esse registo ao seu médico: é uma preciosa informação e um enorme contributo que dá para a sua saúde.

 

Note que num estudo realizado em Portugal e de referência internacional, apenas 11 em cada 100 hipertensos se encontram BEM controlados. Meça a sua tensão arterial ! Assim se evita o AVC e, de forma geral, os acidentes cardiovasculares.



publicado por João Vilela Gonçalves às 12:10
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

João Vilela Gonçalves
Consultor de Medicina Interna, pós-graduado em Diabetologia, tem a competência de Gestão de Unidades de Saúde. Trabalhou em serviços de Cardiologia, Nefrologia e Clínica de Hemodiálise, Consulta especializada do Pé diabético e em Unidades de Cuidados Intensivos. Desempenhou funções de Chefe de Equipa de Medicina do Serviço de Urgência do Hospital de Santa Maria. Foi Assistente Convidado da Cadeira de Patologia Clínica da Faculdade de Ciências Médicas.

Responsável pelas Consultas do Hospital de Pulido Valente (Diabetes, 1994-2004), da PT-Associação de Cuidados de Saúde (Diabetes, desde 1997; Hipertensão Arterial, desde 2006), da Corclínica (Diabetes, desde 1999) e do Instituto Cardiovascular de Lisboa (Diabetes, desde 2004).

Tem o seu trabalho acreditado, do ponto de vista científico, através das inúmeras apresentações em Congressos nacionais e internacionais.
Arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Links
blogs SAPO
Subscrever feeds